ATÉ HOJE JÁ TIVEMOS MAIS DE 400 MIL CONTATOS

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

O NOVO CENTRO DE CONVENÇÕES DE SALVADOR

Salvador terá a partir de 2018 um novo Centro de Convenções. Será consruido onde foi o antigo "campo de pouso" conhecido como Aeroclube,








Depois demoliram o "areo clube" e construirem o shopping que tinha como característica espaços abertos sem cobertura. Era algo diferente! Ficou provado que shopping não pode ter áreas abertas como aquelas. Quando chovia, era aquele sufoco.

Até poucos dias atrás ainda conveviamos com o Centro de Conenções que foi construido no Stiep, apenas grande mas sem nada mais, sem nenhuma beeza aquitet|ônica, sem nada e até pequeno para a sua verdadeira especialidade. . Foi colocado abaixo, uns dizem por ele próprio, outros afirmam que 
f oi o proprio governo que o demoliu.Não importa|! Não existe mais!

Mas vamos ao que importa: no seu lugar a Prefeitura vai constuir outro centro no antigo terreno ao Aeroclube, onde se construiu um um shopping sem pé nem cabeça, metade descoberto que era uma festa para os dias de chuva. Não convenceu a ninguém, muito menos aos comerciantes que consruiram lojas em seu espaço.Prejuízo total!

Agora, a Prefeitura está anunciando a construção de um novo centro de convenções, no local do horrivel shopping que conseguiram construir no local do antgo campo de pouso, digamos assim, e não aeroporto da pior espécie. 









sexta-feira, 20 de outubro de 2017

O DIQUE VOLTA A SER ABANDONADO- CUIDADO

Sou um fã do nosso Prefeito, seja a altura que ele tenha conforme DILMA  salientou em comício em Salvador, chamando-o de "o baixinho". O que mais vale são as ações das pessoas e reconhecidamente, ele fez um bom trabalho, mas esqueceu do Dique do Tororó, uma das maiores atrações urbanas da cidade.

Poucas cidades do mundo tem a felicidade de ter uma lagoa, mesmo pequena, dentro da cidade e Salvador tem e é muito bela, hoje ainda mais bela, pelos Orixás em seu meio e um grande e belo estádio de futebol ao seu lado.

Acresce a tudo isto, uma história impessionanete, muitas verdadeiras, outras duvidosas e sempre em apuração das meias verdades que lhe são próprias. .

Houve um tempo que pouco se ligava para o Dique do Tororó, atitude absolutamente incompreensível de nossos políticos. Aliás, o dique se constituia num problema para a cidade. São as 
as tais "vendas"  da visão de prefeitos e outros políticos responsáveis pelo patrimonio da cidade.
Somos testemunhas ao vivo de uma situação como esta. Vejam só na foto adiante:


Dique do Tororó – Salvador – Bahia

Antes de começar a catastrofe maior, as águas começam a mudar de cor (esverdeada), e daí em diante a lagoa é tomada por "baronesas" uma planta aquática, indicativa de que a coisa começa a não ir normalmente.


Adiante o dique do Tororó atacado pelas baronesas em determinado ano, antes das reformas pelas quais passou:


Outras denominações tem a planta pelo Brasil afora como, por exemplo, (orelha de jegue. jacinto dágua e miriru. Ela flutua por que  possue pecíolos cheios de cavidades de ar. Serve de abrigo natural a organismos de vários tamanhos. servindo de habitat para uma fauna bastante rica, desde microorganismos moluscos, insetos, peixes, anfíbios, répteis e até aves.Ela é ambém como que um filtro natural e tem a capacidade de incorporar em seus tecidos uma grande quantidade de nitrientes.

E, em meio esse grande engano da natureza, nasce uma linda flor chamada  de baroneza, que dá o nome a esse "problema" da natureza, pelo menos nas grandes cidades como a nossa.


Eichhornia-Crassipes

Baronesa



“Essa degradação, associada a uma questão meteorológica -  no caso, as chuvas intensas trazendo água pluvial misturada com esgoto - , fez com que aumentasse muito o nível da água”
Acredita-se que uma conjunção de fatores tenha provocado a chamada eutrofização no manancial, ou seja, a intensidade das chuvas e o baixo escoamento da água, além do fato de que a sujeira se move de acordo com a direção dos ventos, teriam promovido o enriquecimento nutricional, com algas e plantas crescendo de forma excessiva.
 No governo municipalista anterior foram instalados dois ou tres esguinhcos de água para oxigenação do dique. Se faz necessário aumentar o seu número urgentemente. Eles melhoram a oxigenação da água.

Muitos consideram os ghinchos agridem a paisagem do local, mas eles são necessários e muito. Talvez se possa "armar" canteiros de alface de água doce em torno, contudo, com a palavra os técnicos do assunto que aqui estamos tratando.
                                                                            Esguincho do dique.
         







segunda-feira, 2 de outubro de 2017

MARCO COMEMORATIVO DA AVENIDA OCEÃNICA



Este blog teve inicio cinco ou seis anos atrás. Destinava-se a mostrar Salvador de antigamente, como se formou e hoje é a grande cidade que habitamos.

Não diria que já tratei de toda ela. Ainda falta muita coisa que ando buscando a cada momento, principalmente nas fotos antigas que aqui publiquei e muitas outras que estão por ai.. Estou buscsndo minúcias que passaram desapecebidas:  muitas delas sem nenhuma importência é verdade, mas com um algum detalhe curioso que muitos de nós haverá de perguntar: era assim mesmo?; incrível! deveria deixar como era.

Vamos começar com uma foto dos anos quarenta vista acima ou talvez até antes de nossa Avenida Oceânica. Ainda não havia sido construido o ed. Oceania à esquerda, mas a avenida já estava lá.  Curiosamente no seu começo ostentava um  Marco Comemorativo da sua  construção. Era moda marcar uma consrrução com algma coisa monumental. No caso fez-se um marco.

Não se conhece quem o construiu .Deveria ter uma placa informativa, mas não conseguimos nenhuma informação de algum escrito. Porquê isto? Só há uma explicação plausível. Antigamente os dirigentes governamentais costumavam apagar ou destruir os que seus antecessores fizeram. Pode ser o caso. Salvdot é repleta desses maus exemplos.
       

                                                                               
MARCO COMEMORATIO DA AVENIDA OCEANICA NA BARRA