ATÉ HOJE JÁ TIVEMOS MAIS DE 400 MIL CONTATOS

quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

A AMENDOEIRA DO FAROL DA BARRA

Faz alguns anos que na base do morro do farol da Barra, existia uma amendoeira, aliás, uma frondosa amendoeira. Fora plantada praticamente na pequena praia ali existente e em meio às pedras. Seus galhos chegavam bem próximos à balaustrada, quase se podendo pegá-los.

Amendoeira devidamente sinalizada

Nas marés cheias, o mar molhava a base do seu tronco. Água salgada. Mesmo assim ela resistia, mas aos poucos foi definhando e se tornou uma árvore de folhas secas ou quase sem elas; apenas galhos escuros.

Morreu aos poucos

Mesmo assim, serviu por muito tempo até de moradia de uma família pobre que ali vivia. Dependurava suas roupas e panelas nos galhos mais baixos.  Depois se tornou uma “boca de fumo” de muitos marginais.

Até que um dia resolveram cortá-la. O Poder Público. Só ele poderia fazê-lo. Fosse qualquer cidadão e seria preso e multado. É a lei.


E para quem pensa que as garras da lei são apenas para as árvores plantadas em espaços públicos se engana. No edifício que moramos, tinha um pé de “pinheiro” plantado num jardim interno. Pois bem! A belíssima árvore que mais parecia uma árvore de Natal, cresceu horrores e empenou para o lado da rua. O síndico resolveu cortá-la; a Prefeitura não deixou; somente quando essa inclinação se inverteu para os lados da guarita do prédio, ameaçando sua estrutura, os poderes públicos autorizaram o seu corte. 

Um pinheiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário