ATÉ HOJE JÁ TIVEMOS MAIS DE 400 MIL CONTATOS

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

PRAIAS DA PITUBA E AMARALINA AS MAIS POLUÍDAS DE SALVADOR - NÃO É DE ESTANHAR?

Como é sabido, as praias da Pituba e Amaralina são altamente poluídas. Pouca gente a frequenta apesar de erem situadas em frente a dois grandes bairros de nossa cidade, bairros classe A. Aliás esse problema não é de hoje. Faz muito tempo.

Há pouco o jornal A Tarde fez contato com a Embasa e esta empresa informou em nota que “a água suja lançada na praia é decorrente de obra de rebaixamento do lençol freático realizada pela empresa Pablo Engenharia, que está lançando a água da obra na rede de drenagem pluvial.


Essa empresa por sua vez informou que os problemas de esgoto são da alçada da Prefeitura, responsável pelo ordenamento do uso do solo. Mais ainda sobre o assunto: estes lançamentos são indevidos, pois são provenientes de imóveis cujas ruas já contam com rede pública de esgotamento sanitário. A obrigação de ligar o imóvel à rede da Embasa é do morador ou do proprietário de acordo com a Lei Estadual 7.307/1908.

Volto a repetir:  este problema não é de hoje. Há muito anos as praias da Pituba e Amaralina são interditadas pela Prefeitura em notas publicadas na imprensa local.Todo mundo sabe disso, por isso só vivem vazias, apenas o pessoal do baba de Amaralina arriscam frequentá-la.

Costumava mergulhar em Amaralina, mas tomando certo cuidado de não engolir água e ficar pouco tempo nágua Sinceramente, não sabia a verdadeira razão do impedimento. Hoje, entretanto, vim a sabê-lo. Existe uma grande boca de lobo, como se costuma chamar em plena praia da Pituba.

Enorme!

No século passado era muito comum vermos essas chamadas "boca de lobo", principalmente na cidade baixa, como esta na Praia da Boa Viagem\;

Sinalizado na Praia da Boa Viagem, mas já desativado

No caso específico das praias da \Pituba e Amaralina são nada menos do que três a quatro quilômetros de boas praias, Sem dúvida que os proprietários dos imóveis desses dois bairros estão perdendo muito dinheiro e os baianos de um modo geral impedidos de frequentá-las. Com a palavra o Prefeito, aliás, o bom Prefeito de Salvador, segundo última pesquisa de opinião 


segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

MARTHA ROCHA TÃO BELA QUANTO OS CRISTAIS DA FRATELLI VITA

A Crush foi concebida por Clayton J. Powel em 1911, quando fechou uma parceria para a criação da empresa Orange Crush Company nos Estados Unidos..

Vamos esclarecer de uma vez por todas a questão. Não foi  a Crush quem construiu a ponte na Av. Beira Mar em I|tapagipe Quem a construiu foi a Fábrica Monsanto de fertilizantes, antes de 1950. Quando essa indústria fechou, a Crush se instalou em suas dependências por volta de 1960. No Rio de Janeiro o refrigerante foi lançado em 1954;

Lançamento na Bahia

Por que a Monsanto fez a ponte, Ela recebia todo o material para seus fertilizantes pelo Porto de Salvador. Achou por bem trazê-los para Itapagipe via mar através de grandes barcos. Construiu então a ponte para facilitar seu descarrego bem em frente à sua fábrica na Av. Beira Mar.

As instalações da Monsanto na Av. Beira Mar em Itspagipe

A Crush laranja vendia muito, como também vendia de igual forma a Gasosa de Maçã da Fratelli 
Vita. Dominavam o mercado. Isto foi um alerta à Coca Cola. Prejudicava a sua venda ou, pelo menos, a diminuía E nesta seara a coisa é complicada. A ganância vence tudo. É guerra de cachorro grande como dizia o meu amigo França Teixeira. 

Ai a Coca-Cola comprou o direito de distribuir com exclusividade os dois grandes refrigerantes. A Fratelli ficou apenas com a fábrica de cristais. 

A história dessa fábrica é por demais interessante e rica na sua expressividade. Durante as guerras que assolavam a Europa. As garrafas de vidro que vinham da Europa começaram a faltar. O que foi que fez esses extraordinários irmãos Vita?. Construíram às pressas uma fábrica de vidro para fazer eles próprios suas garrafas. Foi essa fábrica que, mais tarde, se transformou numa das maiores fábricas de cristais do mundo.

Cristal Fratelli Vita

Quando Martha Rocha foi eleita Miss Brasil e havia retornado dos Estados Unidos com um honroso segundo lugar, foi recebida por Miguel Vita, filho  de Giuseppe.. Visitou a fábrica e deve ter sido agraciada com uma bela peça. A seguir uma das poucas fotos onde ele aparece.

A seta indica a pessoa de Miguel Vita

A excepcional Martha Rocha

Miguel Vita casou com uma moça de Itapagipe da família Barreto; remou no Santa Cruz junto com meu pai, Conheci pessoalmente, Grande figura!

Sede Náutica do Santa Cruz

AS DÚVIDAS SOBRE A PONTE DA CRUSH- 0 MAR ALCANÇA O CAIS

Seja qual for o turista que esteja se deliciando com as belezas de Itapagipe e se depara com a Ponte da Crush na Avenida Beira Mar, haverá de estranhar profundamente: como se constrói uma ponte sobre a areia de uma praia?

Ponte da Crush - Quase toda sobre a areia

Mas não é nada disto! A ponte foi construída sobre o mar, a partir do cais onde se inicia. A responsável foi uma indústria americana denominada Monsanto, basicamente fabricante de fertilizantes. Corria o ano de 1948. Ela precisava pegar no Porto de Salvador o produto que fabricava no exterior. Achou melhor fazê-lo pelo mar em grandes barcaças.

Pouco tempo depois a Monsanto encerrou suas atividades no local. Não viu sua ponte ser tomada pela areia do mar.Ocupou o espaço a Crush. O que aconteceu? Simplesmente em 1953 a Prefeitura resolveu aterrar com areia os Alagados de Itapagipe. Retirou toneladas de areia e a natureza logo reagiu: tomou todos os buracos feitos com seu material, a água, distribuída em toda região. Com isto o mar encolheu em terra e foram surgindo novas praias onde antes era só mar. Foi assim que surgiu a inusitada ponte de hoje, talvez única no mundo sobre a areia.
Navegação tranquila

Onda evoluindo sob a ponte


Caídas e Saltos ornamentais

Um domingo de sol e mar= Não se vê praia


Não resta a menor dúvida - o mar alcança o cais

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

UMA HISTÓRIA DE AMOR DE UM ESPANHOL DE ITAPAGIPE.

Vou contar uma história quase inacreditável, mas que aconteceu. Foi no tempo do espanhóis quando vieram para o Brasil, especialmente para Salvador. A Europa estava em guerra, ou saía de uma guerra ou ia entrar n’outra. Que povo beligerante! Tão diferente de nós que só pensamos em Carnaval. Agora quietaram, mas nem tanto. Há ainda guerrinhas lá para os lados do Oriente, mas que a Europa está envolvida em razão dos atentados de Paris. É uma guerra de novidades: estão testando novos armamentos e outras coisas, inclusive um Drôni que começou entregando pizza, mas que agora carrega bombas, dizem que apenas de efeito moral. Resultado: entre 1912 e 1945 a economia de diversos países virou um caos, que nem o Brasil por outras razões que não é bom nem falar.
Em consequência, naquela época, o povo procurou se mandar. Muitos foram para os Estados Unidos e tantos outros para o Brasil. Para aqui vieram principalmente os espanhóis, a grande maioria para a Bahia. Trabalhadores, em pouco tempo dominavam os armazéns, padarias, confeitarias, sorveterias e até empresas de ônibus. Tudo!  A lista é grande. Dormiam no fundo dos armazéns. Trabalhavam de tamanco.  Era feito de madeira com uma tira de couro simples na parte superior. Não tinha salto. Era reto. Só tinha uma qualidade: era resistente à umidade do chão dos armazéns. Então não tinham sapatos? Tinha um par, aquele que calçou quando veio para o Brasil. Aqui só usavam uma vez por ano: no dia 31 de outubro, dia do Cacheiro. Iam para Itapuã. Nadavam na lagoa. Sempre morria algum.


Mas uma grande parte dele não morava perto do mar, como em Itapagipe. Moravam! Mas nunca vimos um espanhol tomar banho de mar naquelas plagas. Nem jogavam bola. Nem iam as festas da Bahia. Nem no Carnaval. Ao Bonfim.  Sempre trabalhando. Mas um dia aconteceu algo inusitado.

 Um jovem espanhol se apaixonou por uma baiana, lindíssima, filha de gente rica, bem de vida. Começou a namorar firme. Já ficava na porta dela. Ai os pais, gente de posse, souberam do tal namoro. Sabe o que fizeram? Doparam o rapaz e o meteram dentro de um navio que partia para a Espanha. Quando o rapaz acordou tiveram que segurá-lo. Quiz nadar de volta.



Novo Clube Espanhol da Bahia

Hoje os espanhóis estão totalmente integrados à Bahia e contribuem de todas formas para o crescimento de Salvador e de todo o Estado.

quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

O QUE É QUE A BAIANA TEM? UM POVO QUE SE TOCA!

Este blog foi imaginado e criado para contar a história de Salvador e suas duas cidades, a Baixa e a Alta. Sem nenhum cabotinismo, talvez no mundo não se encontre uma cidade com partes tão desiguais e únicas. Caimi foi o artista que melhor soube dizer dessas diferenças, como também soube dizer que não tem outra mulher no mundo igual à baiana.

O senhor Paulo Cezar Miguez de Oliveira, confirmou o que Caimi cantou em sua brilhantíssima tese “Organização da Cultura na Cidade da Bahia”. Foi muito mais adiante: descreveu o baiano como ele é.

Paulo Cezar Migues de Oliveira

Transcrevemos em parte o brilhante trabalho sobre como é o baiano em si:

“Cremos que não será preciso qualquer esforço para situarmo-nos, os baianos, e confortavelmente, entre aqueles que mais se tocam. E como nos  tocamos ! Dois beijinhos aqui, um cheiro ali, um tapinha nas costas acolá, é assim o cotidiano dos baianos que se conhecem – e, incontáveis vezes, também daqueles que, por acaso, mal se conheceram. Conversamos na fila do banco, do caixa do supermercado ou com o motorista de táxi. Se o ônibus está cheio e estamos sentados, oferecemo-nos para segurar o embrulho ou tomar uma criança ao colo. Abrimos caminho com um sonoro dá licença e, claro, com as mãos, com os braços ou ainda, se for Carnaval e a conselho da canção, a gente mete o cotovelo . Compomos as multidões que fazem as festas de rua da cidade, momento e lugar onde tocar e ser tocado/pegar e ser pegado é quase uma regra e, às vezes, um convite.

Em seguida Paulo Cezar faz um comentário sobre uma tese de um amigo seu: Milton Moura dentro do mesmo tema, a baianidade.

"Uma senhora da classe média deixa de frequentar uma praia próxima por considerá-la poluída. Diz: É um horror aquela multidão, a gente não pode nem respirar. Há de se perceber que o motivo do horror não é simplesmente  multidão, mas uma multidão de pessoas mais pobres, escuras e barulhentas. Resolve ir para uma praia mai distante e quase deserta, na qual não faltam os personagens negros e pobres. Estou indo agora para Aleluia, que é um paraíso. No local, tem uma baiana ótima, adoro ela. Quando eu vou chegando ela já sabe o que eu quero, é outra qualidade de serviço. Verdadeiramente, não é necessariamente uma posição falsa ds senhora branca: ela ama este tipo de relação com a senhora negra que lhe vende acarajé, contanto que isto não aconteça em meio a aglomeração e ao barulho, estando bem demarcados na praia os espaços sociais, inclusive o seu nicho de dondoca.Em contrapartida, a baiana também ama sua cliente; gosta de sua presença e da féria que lhe proporciona, o que não a exime de comentar com alguém de sua extração, quando a freguesa se vai: barona de merda; essa mulher é muito tirada, parece que é melhor do que as outras, pega no acarajé com nojo do azeite, mas quer comer.

E por ai segue Paulo Moura em magnífico trabalho que aqui reproduzo modestamente e distribuo entre meus seguidores, Tem muito mais coisa, mas o espaço não nos permite navegar entre suas palavras de um grande mestre da vida, baiano que é.

FELIZ NATAL A TODOS!

noite feliz


Escolhi a mensagem acima para desejar um Feliz Natal a todos os meus acompanhantes, parentes e amigos.

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

A PONTE DO PORTO EM PORTUGAL E A A NOSSA PONTE SALVADOR-ITAPARICA

Estamos quase num beco sem saída. Não faz muito tempo, escrevíamos sobre a construção da ponte Salvador-Itaparica. Não éramos contra. Contestávamos seu trajeto. Deveria ser construída ligando as ilhas a noroeste da Baía de Todos Santos, saindo em Aratu, não muito longe de Salvador. No local, poderia se formar uma nova Florionópoles, mais quem há de vencer a vaidade humana? De um modo geral estão optando pela saída em Salvador, ali na encosta de Santo Antônio e Calçada. Não temos certeza.
Projeto da ponte Salvador-Itaprica
Tal não foi nossa surpresa ao constatar que numa das mais antigas cidades da Europa,  Porto, Portugal., se construiu uma ponte saindo na velha cidade. Um verdadeiro ataque da modernidade e ao antigo das coisas:

Ponte D Luiz I


Antes porém dessa grande ponte, havia uma outra ponte, pênsil, denominada D. Maria II. Era menos agressiva, outros tempos:

Há de se reparar que do lado da cidade do Porto ainda não havia nenhuma construção, diferentemente da atual ponte que como que agride a bela cidade. Foi inaugurada em 1842.
Por fim, ficam as idéias e os exemplos que esta postagem procura transmitir aos nossos governantes.

Não poderíamos deixar de observar que todo esse pessoal presente na inauguração dessa ponte é de Gaya. Porto não existia como cidade, Foi a ponte que provocou sua construção . Ponto então para aqueles que preveem uma corrida imobiliária da ilha de Itaparica.



segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

DE RUY BARBOSA ATÉ MARINA - UM CAMINHO DE INTELIGÊNCIA E BELEZA

Contar a história de uma cidade é contar também a história das pessoas que nela nasceram, vivas ou mortas. São muitas essas pessoas .Milhões. Precisamos escolher pelo menos uma que represente todas as outras. Pensei! Vivemos um momento político perturbado. O conceito do Brasil cai a olhos vistos. Foi ai que escolhemos Ruy Barbosa para servir de exemplo a todos nós e através desse exemplo concertarmos esse País de uma vez por todas.
Nada melhor para começar senão citando a frase que encerra sua vida:
“EXTREMECEU NA JUSTIÇA; VIVEU NO TRABALHO; E NÃO PERDEU O IDEAL.
Tem outra frase que merece registro. Está na entrada do Fórum onde o escultor Mário Cravol Júnior colocou uma cabeça em metal do grande jurista.

A Ruy Barbosa, maior de seus filhos, a Bahia oferece este Fórum, inaugurado a 5 de novembro de 1949, em comemoração do primeiro centenário do seu nascimento.

Fórum Rui Barbosa
Como quase todo baiano Ruy Barbosa gostava de Itapagipe. Namorou uma moça de península, mas veio a se casar em 1876 com a baiana Maria Augusta Viana Bandeira.[Cabeca+Rui+Barbosa.jpg]

Poderíamos estender essa postagem por longas páginas. Talvez ficasse enfadonho. Vamos encerrar mostrando as casas que Ruy Barbosa morou ao longo da vida:
Casa de Ruy em Salvador

Casa de Ruy no Rio de Janeiro
Interior da referida casa do Rio
Casa em Petrópóles onde passava os dias de verão

Ruy Barbosa
Apesar de termos dito que estávamos encerrando essa postagem mostrando as casas onde Ruy morou, seria uma pecado não mostrarmos uma das suas descendentes, nada mais nada menos que a grande artista de nossa televisão, Marina Ruy Barbosa, que pelo menos dá um toque de beleza a essa postagem:

Marina Ruy Barbosa


MISS COLÕMBIA GANHOU MAS NÃO LEVOU - CHEGOU A SER COROADA - UMA VERGONHA!

Ontem a noite aconteceu algo inusitado, jamais visto em todo o mundo. Foi no Concurso Miss Universo 2015. O apresentador (Steve Harvey) após ter anunciado a eleição da nova miss, a candidata  da Colômbia, Michele Rouillard disse  ter se enganado. A verdadeira Miss Universo 2015 era a filipina, Pia Wurtzbach.,

Miss Colômbia

Miss Filipinas

Ai o pau quebrou, muito justamente. A miss Colômbia avançou sobre a filipina e lhe arrancou a faixa e a coroa.A internet bloqueou o afair. Você digitava Miss Universo e a internet publicava  briga parecida na Concurso Miss Amazonas. Aqui pode, nos Estados Unidos, não.


Na Amazonas tudo é permitido

sábado, 19 de dezembro de 2015

BALAUSTRADAS DA BARRA SE RENOVAM

A Barra ganhou há pouco tempo novas balaustradas, todas pintadas de branco. São tradicionais. Repentinamente, a parte virada para o mar ficou amarelada, mas de um amarelo feio, mais para o bege, o que dá impressão de coisa velha.




A Prefeitura atenta, está pintando de branco novamente e vai ter que fazê-lo outras vezes. Por que? Pela ação do salitre que vem do mar.. Terrível! Destrói tudo. Suja tudo. Os prédios em frente também sofrem. 

As plataformas da Petrobras não flutuantes que dependem de estacas para  sua sustentação, revestem-nas de uma camada de alumínio para proteger internamente o ferro que, verdadeiramente sustenta
 o grande peso.

Então, é do mar que se estrai o salitre usado até para fazer explosivos? Não é! Apenas o mar possui algum salitre. O sal é a sua especialidade.

De onde vem então o salitre? Das minas existentes na terra ou feito pela própria terra. Explicamos esse último detalhe:"feito da própria terra" Então a terra tem mais salitre do que o próprio mar?

Não é que tem, faz-se. Terra velha, misturada com toda sorte de detritos, até animais.

Veja, Dêga, querida filha, autora da foto acima, como são extraídas nossas postagens de uma simples balaustrada. Verdade que sua pessoa me inspirou.



quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

A MARINA DO COMÉRCIO E SEU AVANÇO SOBRE OS MARES E AS PRAIAS

Estamos entranhando que a Prefeitura de Salvador esteja dando autorização para que a Bahia Marina complete a construção de um cais que se inicia nos fundos do Restaurante Amado na Contorno.

Como se sabe esta obra foi paralisada por força de uma ação de embargo por alguém que ainda não se conhece.


Faz dois anos que isto começou. Em plano periodo do Carnaval, quando a cidade se preparava para a a folia, a obra teve inicio de forma apressada. Hoje, ela  está assim:



O mesmo aconteceu de modo mais grandioso quando da construção da própria Marina. Levou anos para  solução do caso, até que conseguiram a autorização.

Com o devido respeito aos órgãos envolvidos na decisão, foi uma autorização errada. Não poderia ser construída onde foi levantada e vamos citar algumas razões:

Primeiramente, desrespeitou a Lei do Tombamento. Há poucos metros estava o Solar do Unhão. Fizeram-na quase em cima do grande monumento, um dos mais importantes de Salvador.Abriga hoje o Museu de Arte da Bahia de extraordinária beleza. Tiram-lhe a vista da Bahia de Todos os Santos. Um crime! Dias D'Ávila que morou nele, deve está tremendo em seu túmulo.

Solar do Unhão praticamente junto à Marina

E como era antigamente? Veja a foto adiante|:


Vale salientar aqui que o espaço onde seria construída a Marina era degradado, etc. etc. Não era! Era uma grande praia que começava no Trapiche Adelaide e se aproximava do Solar do Unhão. Era a praia dos grandes nadadores da Preguiça como os irmãos Aragão, e as duas campeãs sul-americanas, Mary Gonçalves que morava no alto e Sônia Maria de Jesus. Era bem frequentada!

Praia da Preguiça-O traço vermelho indica a praia suprimida.

E o que diz a Lei à respeito? Vejamos o decreto respectivo:

Organiza a proteção do patrimônio histórico e artístico nacional.
        O Presidente da República dos Estados Unidos do Brasil, usando da atribuição que lhe confere o art. 180 da Constituição,
        DECRETA:
CAPÍTULO I
DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL
        Art. 1º Constitui o patrimônio histórico e artístico nacional o conjunto dos bens móveis e imóveis existentes no país e cuja conservação seja de interesse público, quer por sua vinculação a fatos memoráveis da história do Brasil, quer por seu excepcional valor arqueológico ou etnográfico, bibliográfico ou artístico.
        § 1º Os bens a que se refere o presente artigo só serão considerados parte integrante do patrimônio histórico o artístico nacional, depois de inscritos separada ou agrupadamente num dos quatro Livros do Tombo, de que trata o art. 4º desta lei.
        § 2º Equiparam-se aos bens a que se refere o presente artigo e são também sujeitos a tombamento os monumentos naturais, bem como os sítios e paisagens que importe conservar e proteger pela feição notável com que tenham sido dotados pelo natureza ou agenciados pelo indústria humana.

        Art. 2º A presente lei se aplica às coisas pertencentes às pessoas naturais, bem como às pessoas jurídicas de direito privado e de direito público interno.
O que diz  lei à respeito\;

A Marna do Comércio quebrou todas as normais possíveis e inimagináveis. Mais ainda, interferiu no eco-sistema da região. Deve ter alterado as correntezas do local, as ondas que quebravam na encosta. nos ventos e, consequentemente, nos peixes que habitavam o local. Um desastre!

Pode-se ainda citar outra grande transgressão. A distância entre o Solar e a Marina. Diz a Lei que precisa ser respeitado a distância de  pelo menos 300 metros.

O ENTORNO DOS BENS TOMBADOS NA LEGISLAÇÃO BRASILEIRA Ana Maria Moreira Marchesan Promotora de Justiça no Estado do Rio Grande do Sul Definição de entorno O entorno consubstancia um conceito de fácil definição teórica, mas de difícil operacionalidade, como veremos ao longo deste trabalho. Na legislação brasileira, o artigo 18 do Decreto-lei n° 25/1937, conhecido como a Lei do Tombamento, prevê que, sem prévia autorização do Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional1 , [...] não se poderá, na vizinhança da coisa tombada, fazer construção que lhe impeça ou reduza a visibílidade, nem nela colocar anúncios ou cartazes, sob pena de ser mandada destruir a obra ou retirar o objéto, impondo-se nêste caso a multa de cincoenta por cento do valor do mesmo objéto. (BRASIL, 1937). A par disso, ao tutelar a paisagem como valor, como bem jurídico digno de proteção, nosso ordenamento contempla a proteção do entorno, a começar pela Constituição Federal – artigos 23, III, 24, VIII, e 216, V. A Lei n° 7.347/1985, que disciplina a ação civil pública, prevê a responsabilidade por danos causados ao meio ambiente e a bens e direitos de valor estético e paisagístico, entre outros. 



A Marina do Comércio quebrou todas as normais possíveis e inimagináveis. Mais ainda, interferiu no eco-sistema da região. Deve ter alterado as correntezas do local, as ondas que quebravam na encosta; os ventos e, consequentemente, os peixes que habitavam o local. Toda uma cadeia que imperava no local foi destruída.  Um desastre!

No caso presente quando avança ainda mais sobre o mar, vai prejudicar a única praia existente no local, que se não é frequentada pela elite, o é pelos pobre moradores da Preguiça que merecem o mesmo respeito.

Em contra partida, estão dizendo que irão colocar areia na praia ao lado que é cheia de pedregulhos. Não é a mesma coisa! É um remendo que com o tempo vai voltar a tudo que era. Isso é brincadeira e não se brinca com o que veio de Deus, construído por ele.



local da antiga praia

Sem a balaustrada - Melhor visão



As duas praias


Anteriormente, antes do. espigão de terra, os limites da Marina vinham até onde se via uma casinha branca de controle. Hoje se estendeu para emparelhar com o avanço que vinha de terra. Teria sido esta parte também embargada? Acho que não!


Ardiloso! A seta indica onde ficou a casa brança. O resto é avanço indevido.Nota-se uma diferença na cor das pedras.

(SE ACEITA PROPAGANDA NESTE BLOG
CONTATO: eduardogantois1@gmail.com)

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

NATAL DE UMA BELEZA SINGULAR

Salvador pode não ter a maior ou a mais bela árvore de Natal do Brasil, mas tem as mais significativas, pois que presentes entre seus palácios e monumentos seculares.

Vamos reportá-las  num bom trabalho de Robson de Souza e Desirrèe Gantois, que a cada dia surpreendem

A primeira foto foi tirada na Praça Castro Alves com destaque para a estátua do poeta da Bahia, Castro Alves. Simples mas de grande expressão. A imagem esconde as palavras

"A praça é do povo mas o céu é do condor"

Igualmente, poderá se dizer da vetusta Câmara Municipal de Salvador. Suas paredes ficaram mais
suaves depois da iluminação de Natal. Talvez poder-se-á ainda ouvir a voz de seus grandes vereadores Osório Vilas Boas, Castelo Branco, Pacheco Filho. Sobre este último conta-se que estava nas Duas Américas fazendo compras quando o pessoal da rua soube de sua presença. Foi um "Deus nos Acuda". Tiveram que fechar as portas.


Câmara Municipal de Salvador

Pacheco Filho

Palácio da Aclamação ma Praça Municipal

E o presépio em frente ao Palácio da Aclamação? Ficou mais singelo ante a imponência do belo edifício. Os tempos são outros. Pouca gente sabe que esse palácio foi bombardeado pelo próprio Forte São Marcelo em 1912. Uma guerra intestina pelo governo do estado, envolvendo figuras de proa de nossa sociedade como, por exemplo, Ruy Barbosa, Luiz Viana e J.J. Seabra.Uma pena!

Prefeitura de Salvador

E a nossa Prefeitura feita de vidro. Talvez seja a única no mundo nessas condições. Pode ser desarmada e instalada em qualquer outro lugar, por exemplo na Praça Cairu, ali em baixo no Comércio. Disse seu autor que pelo tempo em que ela está no lugar. já está integrada à praça com seus palácios coloniais. Será? Será também que as luzes do Natal amenizaram seu aspecto?

Ainda na Praça Municipal, Robson e Desirèe nos proporcionaram uma foto do Elevador Lacerda na sua parte alta. Identifica o elevador. Tem um relógio que parece ainda funcionar. Bem razoável sua apresentação. 

Entrada no alto do Elevado Lacerda

A beleza do Elevador Lacerda

Em seguida, temos umas fotos do Dique do Tororó. Todos os anos é o local preferido das árvores de Natal. Não poderia faltar.




Desde o ano passado o dique conta com um aditivo à mais no conjunto de sua paisagem: a Arena da Fonte Nova: Sensacional. É tida como uma das mais belas do Brasil.

E os Orixás não poderiam faltar