ATÉ HOJE JÁ TIVEMOS MAIS DE 400 MIL CONTATOS

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

O PALITO DE NOVA YORK

O gabarito de uma cidade é algo deveras importante em muitos aspectos, inclusive financeiro. Já pensou uma pessoa proprietária de um terreno na Avenida Oceânica em Salvador ou mesmo uma casa de dois ou três andares, não poder subir com um prédio de 10 a 15 andares e ficar rico? Aliás, riquíssimo. É duro, mas é a realidade. Não se pode construir nada acima da altura de cerca de 10 metros.

A principal alegação dos poderes públicos: prédios altos nessa importante parte de nossa orla farão sombra sobre a Praia do Farol. Não pode e não deve. Mais do que justo, pelo bem coletivo.

Mas esse mesmo proprietário quando olha para a esquerda onde se encontra o Edifício Oceania deverá comentar indignado:  e então, porquê deixaram construir o Edifício Oceania? Tem oito andares só de apartamentos e mais uma parte inferior destinada a eventos, etc. etc.. No final, tudo corresponde a uma altura de um prédio de pelo menos 12 andares.  E ele deve fazer sombra naquela pontinha da praia junto ao morro e na melhor hora de sol para a saúde.  Tem que fazer!

Não sabe esse proprietário e agora fica sabendo que houve um “artifício” digamos assim, quando da construção desse extraordinário prédio. Apresentaram o projeto à Prefeitura como sendo um edifício que seria erguido na Rua Marquês de Leão, 36, esquina com a Avenida Oceânica.

Só que os encarregados no assunto da Prefeitura não perceberam, ou não atentaram, que a lateral esquerda do referido prédio tomava cerca de 50 a 70 metros da Av. Oceânica.

Mas isto não deveria acontecer, é ilegal, dirão muitos. Mas aconteceu e hoje o prédio é tombado. Não se pode bulir nele e nem se deve. Já faz parte do grande cenário do qual faz parte, junto com o Farol da Barra.

Mas essa exceção não deveria provocar uma alteração do gabarito dos demais prédios ao seu lado, inclusive o Ed. Portela, que mais parece um anexo do grande edifício?
Há de se reparar também o recuo do referido prédio com vista ao aumento da largura da grande avenida. No caso do Oceania ele avança sobre o espaço do recuo.


Sem dúvida que é discutível. Muito discutível.

Guardadas as devidas proporções, está acontecendo em Nova York algo muito significativo de relação a essa questão de gabarito.  A cidade tinha um determinado padrão de altura (o gabarito não deixa de ser um padrão). Uns ligeiramente mais altos que outros, mas nada de excesso. O conjunto era até harmonioso.

Estão construindo um prédio de 468 metros de altura que deixa a “cidade” lá em baixo. Virou tudo prédios anões, de certa maneira, que nem o Portela. 


432 Park Avenue

E acrescente-se que o edifício tem um aspecto um tanto quanto simplório e tanto é verdade que já está sendo chamado de "Palito" - TOOTHPICK.

Nenhum comentário:

Postar um comentário