ATÉ HOJE JÁ TIVEMOS MAIS DE 400 MIL CONTATOS

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

PETROLEO DE NOVO NO LOBATO


Reportagem sumamente interessante foi publicada no dia 21 desse mês no jornal A Tarde: "Após 74 anos, petróleo volta a agitar moradores de Lobato"

"A história, contada e recontada muitas vezes na localidade, foi a primeira lembrança que veio à cabeça do pedreiro Edvaldo Silva, 24, ao encontrar, no início da semana passada, uma tubulação que vazava um líquido preto, na obra onde trabalhava.

A demanda da dona de casa Tereza Barbosa, 57, que o contratou, era simples: retirar o barro do quintal para, posteriormente, construir mais um quarto para a mãe, de 83 anos, e ampliar a cozinha”.

Está a se repetir a mesma história acontecida em 1939? Totalmente diferente. Naquela oportunidade, o povo sem saber, já usava o petróleo para acender lamparinas e fifós com uma lama preta que dava no lugar. Era petróleo misturado com terra, terra esta pertencente a um senhor chamado Lobato.
Ai, um engenheiro agrônomo chamado Manoel Inacio de Bastos, curioso, pegou alguma quantidade daquela terra e mandou fazer um exame em laboratório. Constatou-se que era petróleo. Fez uma carta ao Presidente da República, na época o senhor Getulio Vargas e ficou aguardando a resposta. Esta demorava de chegar. Resolveu procurar alguém importante em Salvador. Indicaram-no o senhor Oscar Cordeiro, presidente da Bolsa de Mercadorias da Bahia. Este botou para funcionar suas relações no Rio de Janeiro. Em pouco tempo recebeu uma resposta. Alguém ligado ao Governo viria a Salvador constatar o fato. Confirmou-se: era mesmo petróleo. Nesse caso,  o Presidente viria à Bahia proximamente.  De imediato o  Sr. Cordeiro procurou um cartório e registrou a descoberta. Ele em primeiro lugar e o Inácio em segundo, tinham descoberto petróleo no Lobato. Que se registre o fato para todos os efeitos de lei.
Sr. Oscar Cordeiro 
E em 1940 Getulio desembarcou  em Salvador à bordo de uma avião Catalina que aterriou nas águas mansas da Enseada dos Tainheiros. Estava a esperá-lo  no Hidroporto o senhor Oscar Cordeiro. Uma lancha havia sido preparada para levar o presidente até o outro lado no Lobato.
E o senhor Manoel Inácio onde se encontrava? Infelizmente, internado num hospital em Conquista onde veio a falecer. Nenhuma referência foi feita do seu nome ao senhor Presidente e a ninguém da embaixada.
Em seguida o poço começou a ser explorado pela Petrobrás. Deu alguma coisa, mas nada de expressivo. Resolveram desativá-lo. Outras bacias já em produção davam os limites razoáveis de exploração. Lobato estava abaixo.
No local ficou uma torre. Colocaram uma placa. Poço Oscar Cordeiro – Descobridor do Petroleo Brasileiro. E o Manoel Inácio? Nada.
Até que um dia, a esposa do Manoel foi a Lobato e chorou lendo o que estava escrito na placa. E seu marido? Não citaram o seu nome. Foi ele que descobriu o petróleo que tinha aqui. Resolveu procurar a Petrobras com muitas provas em mão. Felizmente a Petrobrás reconheceu a autoria da descoberta. Não podia mais tirar o nome do Sr. Cordeiro. Concedeu uma pensão vitalícia à viúva num gesto dos mais dignos.
Essa história nos impressiona muito. Não tivemos oportunidade de conhecer o engenheiro Manoel Inacio Bastos, mas conhecemos o senhor Oscar Cordeiro. Morava na Madragoa. Sempre o via na porta do edificio onde funcionava a Bolsa de Mercadorias, no Comércio.

 Aqui morou o Sr. Oscar Cordeiro - Largo da Madragoa

Nenhum comentário:

Postar um comentário