ATÉ HOJE JÁ TIVEMOS MAIS DE 400 MIL CONTATOS

sábado, 2 de julho de 2011

NAZARÉ

Duas grandes avenidas cruzam a Salvador de antigamente e de hoje: a Avenida 7 de Setembro e a Avenida Joana Angélica. A primeira no sentido norte-sul se alonga desde a Praça Castro Alves até o Largo do Farol na Barra. Tem quase cinco mil metros. A segunda, no sentido oeste-leste, começa na Praça da Piedade e tem seu término no Largo de Nazaré.

De relação à primeira, seguimos o seu trajeto em diversas postagens. Caminhamos por São Bento, São Pedro, Largo da Piedade, Rosário, São Lourenço, Campo Grande, Vitória, Ladeira da Barra e finalmente Barra.

Já de relação à segunda, já estivemos pela Lapa, Mouraria, Palma,Tororó, Campo da Pólvora, Fonte Nova, Saúde e estamos chegando ao Largo de Nazaré, Praça Almeida Couto.

O povo costuma chamar todo esse conjunto de Nazaré, desde que ligado pela grande avenida, cujo nome é uma homenagem à Sóror Joana Angélica, mártir da Independência da Bahia.

Coroando todo esse trajeto, como que o absorvendo, acha-se ao fim da avenida o Largo de Nazaré, Praça Almeida Couto.

Como largo tem muito a desejar, contudo, no seu entorno tem três importantes conjuntos arquitetônicos: a Igreja Nossa Senhora de Nazaré, o Salesiano e o Hospital Santa Izabel.
 
Sua construção data da primeira metade do século XVIII, Foi fundada em 1751. Tipicamente barroca
Logo adiante vê-se o Colégio Salesiano e sua igreja:








O Salesiano foi fundado em 11 de março de 1900. Transcrevemos abaixo a ata da sessão inaugural do tradicional colégio:

Acta da sessão inaugural do Liceu Salesiano do Salvador, sito no largo de Nazareth, conforme abaixo se declara:
Aos onze dias do mez de Março de mil e novecentos do anno do nascimento de Nosso Senhor Jesus Christo, nesta Cidade do Salvador, capital do Estado da Bahia, achando-se presentes a uma hora da tarde no edifício do Lyceu Salesiano do Salvador, sito no largo de Nazareth, o Exmo e Rvdmo Sr. Dr. D. Jerônymo Thomé da Silva, Arcebispo da Bahia e Primaz do Brasil, o Exmo. Sr. Conselheiro Dr. Luiz Viana, Governador do Estado, o Exmo. Sr. General de Divisão Roberto Ferreira, Commandante do 3º Distrito Militar, o Sr. Dr. Intendente Municipal desta Capital, Membros do Tribunal de Appelação e Revista, e outras auctoridades, Membros do Clero secular e regular, representantes da Imprensa, Comissões do Comitê Patriótico e de outras muitas Associações pias e philantropicas, muitas senhoras e crescido numero de cavalheiros representantes de todas as classes sociais, o Exmo. Sr. Dr. D. Jeronymo Thomé da Silva, Arcebispo desta Archidiocese abrindo a sessão inaugural declarou instalado e inaugurado o Lyceu Salesiano do Salvador para todos os seus fins religiosos e civis”.


A decisão de construção de um colégio salesiano em Salvador deu-se em 1892 e a sua efetivação aconteceu em 1896. Era Arcebispo da Bahia, Dom Jerônimo Tomé da Silva.

O primeiro padre Salesiano aportado na Bahia foi o senhor Lourenço Giordono que fez os primeiros contados com o Arcebispo da Bahia. Foi ele que escolheu o local onde seria construído o colégio. Decorria o ano de 1897.

Em 05 de novembro de 1899 o Pe. Luiz Della Valle toma posse do novo estabelecimento e em 11 de março de 1900 é inaugurado o Liceu Salesiano do Salvador.

Quem são os Salesianos?

A Congregação dos Salesianos é uma congregação religiosa da Igreja Católica Apostólica Romana fundada em 1859 por São João Bosco e aprovada em 1874 pelo papa Pio IX. Seu nome oficial é Pia Sociedade de São Francisco de Sales em homenagem a São Francisco de Sales, contudo são popularmente conhecidos por salesianos de Dom Bosco, (em latim: Salesiani Domini Bosci) o que determina sua sigla: SDB.

Fechando o largo nada mais nada menos que uma instituição modelar da Bahia: o Hospital Santa Izabel।



O primeiro hospital mantido pela Santa Casa da Misericórdia tinha o nome de Hospital Nossa Senhora das Candeias, mas o povo só o chamava de Hospital da Cidade. Foi instalado próximo à Praça da Sé. Era apenas uma espécie de cabana coberta de palha com pouco mais de 200 metros quadrados.

Com o crescimento da cidade se fazia necessária uma área maior para atendimento da população. Por essa razão, no mesmo local, em 1696, foi construído um novo hospital, já com estruturas de pedra e cal. Passou a se chamar Hospital São Cristovão.

Manteve esse nome até 30 de julho de 1893 quando se inaugurou um novo hospital nas encostas do bairro de Nazaré, recebendo o nome de Hospital Santa Izabel. O projeto é de autoria do arquiteto Carlos Croesy. Funciona em área de 39 mil metros quadrados – 29 mil de área construída.

Até hoje ele é propriedade da Santa Casa da Misericórdia e certamente todos nós temos interesse em conhecer melhor esta entidade e porquê ela é proprietária de “meia Salvador” como se diz popularmente.

A Santa Casa da Misericórdia teve origem no finaldo século XV por iniciativa do Frei Miguel de Contreiras. De origem nobre, exerceu o professorado de teologia e foi pregador.

Construiu seu primeiro hospital em Santo Antônio da Sé graça às esmolas que levantava junto aos devotos. Depois sucederam as construções dos hospitais Real de Todos os Santos, Caldas de Rainha, todos em Portugual.

No Brasil, a necessidade de internação de pacientes destituídos de recursos ou recém-chegados, sem família e sem moradia, acarretou logo no século XVI a criação das Santas Casas da Misericórdia, segundo os moldes da estabelecida em Lisboa.

A Casa da Misericórdia da Bahia teria sido fundada entre a chegada do primeiro governador-geral, Tomé de Souza e a morte do terceiro, Mem de Sá em 1572.

Muitos se admiram das grandes propriedades pertencentes à Casa da Misericórdia. Agora se explica:
Grande parte da renda da Misericórdia provêm de legados diretos ou na forma de propriedades. Entre os anos de 1600 e 1750, estes donativos tiveram como destino o hospital, os enjeitados, os presos, a Casa de Retiro, dotes ou almas. Dentre os seus fundadores e benfeitores destacaram-se Mem de Sá que deixou-lhe um terço de seus pertences; Gabriel Soares de Sousa, autor da famosa obra "Tratado descritivo do Brasil em 1587", também deixou-lhe elevada quantia; e João de Mattos Aguiar, outro de seus provedores, que doou toda a sua fortuna em 1700.

Nenhum comentário:

Postar um comentário