ATÉ HOJE JÁ TIVEMOS MAIS DE 400 MIL CONTATOS

domingo, 24 de outubro de 2010

SUBÚRBIO FERROVIÁRIO DE SALVADOR - 9- ENSEADA DO CABRITO

ENSEADA DO CABRITO
Após Lobato, o trem se dirige até Plataforma. Até antes de 1952 ele circundava toda a Enseada do Cabrito numa viagem maravilhosa à beira-mar ou talvez dizendo, à beira manguezal, desde que todo seu entorno era coberto por plantas de mangue. Era um santuário de muitas espécies de peixes, mariscos e aves.

Enseada do Cabrito

Como já dissemos em postagem anterior, na Enseada do Cabrito desembocava as águas provenientes da Bacia do Cobre, formando a extraordinária Cachoeira do Rio do Cobre। Com isto, formava-se um ambiente propício para o desenvolvimento dos mangues। Saliente-se, inclusive que, justamente na embocadura da cachoeira, o mangue se estendia além da margem. Dirigia-se para o centro da enseada e para os seus lados. Formava-se como que uma ilha recortada no seu interior por canais de água proveniente da cachoeira. Eram os caminhos da Cachoeira do Rio do Cobre que descrevemos em postagem anterior, marulhentos tanto quanto barulhentos pela força da água e sua queda lá de cima. E em 1948 resolveram fazer uma ponte ligando Lobato à Plataforma. Excluía-se o trajeto interno da Enseada do Cabrito numa extensão de algo em torno de 2.300 metros. Dir-se-ia que era um projeto visando economia de combustível ou de energia. Prejudicava, entretanto, a beleza do trajeto.

Este é um assunto bastante discutível. Esta ferrovia não tem uma razão que se diga estratégica. Ela seria mais turística e social do que outra coisa. Hoje, por exemplo, diversos grupos se formam para cumprir seu percurso. E o que dizer dos moradores da parte interna da Enseada do Cabrito que ficaram sem aquele acesso? Deve ter sido um problema.

Mas de nada adiantaram os protestos havidos na época e em 7/11/1952 a ponte foi inaugurada em estrutura de ferro fundido com 461 metros e 15 vãos. Seu projeto foi feito em Londres com a sofisticação que àquele tempo as coisas exigiam.



Ponte São João







Vista do alto

Infelizmente a Ponte São João está com sua estrutura seriamente comprometida. A ferrugem está deteriorando suas peças. Além disso, a pesca com bomba está prejudicando-a seriamente. Os trens não estão mais passando por ela. Está um sufoco chegar a Periperi, por exemplo: pega-se o trem na Calçada; este vai até Santa Luzia do Lobato aonde os passageiros são obrigados a saltar e pegar um ônibus – desconfontabilissimo – e saltar em Plataforma; aí, toma-se outro trem que o irá deixar em Periperi e outras localidades.

Uma nova estrutura metálica está sendo preparada para substituir a original. Custará R$ 16 milhões e será paga com recursos federais. A atual ponte tem 1.700 toneladas de estrutura metálica assentada sobre 15 vãos. A nova, será um pouco mais leve, com 1.320 toneladas de aço As 1.700 toneladas de aço da ponte velha serão destinadas ao ferro-velho.

Esperamos que o projeto seja bonito, desde que a atual ponte não tem nada de artístico. É uma ponte, uma simples ponte!O local merece algo melhor! Olhem as novas pontes aí pelo mundo. Inspirem-se, por favor!

Em tempo: a nova ponte foi feita igualzinha a antiga. Uma pena!

Nenhum comentário:

Postar um comentário